Connect with us

Olá, o que você está procurando?

Saúde

Flacidez: saiba as principais causas e como tratar

Foto | Divulgação

Ao longo dos anos é natural que diversas mudanças ocorram nossas vidas, sejam elas estéticas e/ou mentais. Em relação às mudanças físicas, é muito comum sentir incômodos ao ver o corpo, pele e face se alterando. Aos 50 anos, a firmeza e colágeno que estavam presentes aos 20 já não são mais os mesmos, e não há problema algum em querer amenizar tais mudanças.

Entre as principais queixas quando o assunto é a aparência da pele, a flacidez – apesar de fazer parte de todo esse processo de envelhecimento – quase sempre se faz presente. Pensando nisso, convidamos o Dr. Felipe Ribeiro, dermatologista e pesquisador, para esclarecer algumas dúvidas sobre a flacidez e indicar os melhores tratamentos para essa condição. Confira abaixo:

Quais são as principais causas da flacidez da pele?

As principais causas da flacidez da pele envolvem uma combinação de fatores genéticos, ambientais e de estilo de vida. O envelhecimento é a causa mais comum, pois, com o tempo, a produção de colágeno e elastina – essenciais para a elasticidade e firmeza da pele – diminui naturalmente. Além disso, a exposição prolongada ao sol pode acelerar esse processo ao danificar essas fibras essenciais da pele. Outros fatores incluem mudanças significativas de peso, que podem esticar a pele e dificultar seu retorno à forma original, bem como hábitos prejudiciais, como fumar, que compromete a circulação sanguínea e a renovação celular.

Existem diferentes tipos de flacidez?

Existem, de fato, diferentes tipos de flacidez da pele, que podem ser categorizados principalmente em flacidez muscular e flacidez cutânea. A flacidez muscular é causada pela perda de tônus muscular subjacente, muitas vezes resultante de inatividade ou envelhecimento, que afeta a firmeza geral da área. Já a flacidez cutânea refere-se à perda de elasticidade diretamente na pele, devido à diminuição da produção de colágeno e elastina. Ambos os tipos podem ocorrer simultaneamente, especialmente em áreas do corpo onde a pele é naturalmente mais fina e mais propensa a perda de elasticidade.

Qual é a idade típica em que as pessoas começam a notar flacidez na pele?

A idade em que as pessoas começam a notar flacidez na pele varia bastante, dependendo de fatores genéticos, ambientais e de estilo de vida. Geralmente, os sinais iniciais de flacidez podem ser observados a partir dos 35 anos, período em que a produção de colágeno começa a diminuir gradualmente e a elasticidade da pele começa a se reduzir. Entretanto, indivíduos com alta exposição solar, fumantes ou aqueles que passaram por perda de peso significativa podem notar flacidez mais cedo.

Quais áreas do corpo são mais propensas à flacidez?

As áreas do corpo mais propensas à flacidez variam, mas geralmente incluem aquelas onde a pele é mais fina ou submetida a estresse regular, como o rosto, pescoço, braços, abdômen e coxas. O rosto e o pescoço são frequentemente os primeiros a mostrar sinais de flacidez devido à sua exposição constante a fatores ambientais, como o sol, e à sua pele relativamente fina. Os braços e as coxas podem se tornar flácidos com mudanças de peso ou falta de exercício, que afetam tanto a pele quanto o tônus muscular subjacente. O abdômen é especialmente propenso à flacidez após a gravidez ou perda de peso significativa, devido ao estiramento excessivo da pele.

Quais são os tratamentos mais eficazes para reduzir a flacidez da pele?

Entre os tratamentos mais eficazes para combater a flacidez da pele, encontram-se opções que vão desde procedimentos minimamente invasivos até abordagens mais intensivas. São opções disponíveis hoje:  radiofrequência, ultrassom microfocado, laser, microagulhamento, terapias tópicas, luz pulsada, fios de sustentação, peelings e bioestimuladores de colágeno. Cada uma é interessante em determinado cenário e a associação delas costuma ter efeito mais significativo.

A flacidez da pele pode ser evitada?

Prevenir a flacidez da pele é um processo que combina hidratação adequada, nutrição balanceada, atividade física regular, e cuidados específicos com a pele. Beber bastante água diariamente e consumir alimentos ricos em proteínas, colágeno e antioxidantes são fundamentais para manter a pele firme e saudável. Exercícios, especialmente a musculação, ajudam a construir massa magra, substituindo a gordura e mantendo o peso estável, evitando assim o efeito sanfona que pode danificar a elasticidade da pele. Além disso, a proteção contra os raios UV, através do uso diário de protetor solar, e a aplicação regular de cremes com ativos voltados para a firmeza da pele, como retinóides e hidroxiácidos modernos também auxiliam.

Para quem busca resultados mais específicos, tratamentos estéticos são interessantes e, dentre eles, o bioestímulo – como é o caso do STIIM®, da ILIKIA – se descaca como opção segura, rápida e eficaz.

Ainda segundo o dermatologista, o uso do STIIM®, – bioestimulador de colágeno feito à base de hidroxiapatita de cálcio – além de promover a produção de colágeno na pele, o procedimento também tem efeito regenerativo: “Quando estudamos os processos de formação de colágeno, é interessante que se leve em conta que o novo colágeno é sempre melhor. A aplicação de substâncias que atuem de modo a gerar um novo colágeno é inteligente porque traz a firmeza que perdemos com os anos.”, comenta Dr. Felipe.

Como esse procedimento funciona?

Depois de aplicada na pele, a hidroxiapatita se integra aos tecidos e estimula o organismo a tecer uma nova rede de colágeno, enrigecendo a textura da pele. Esse efeito não é imediato como os preenchedores, entretanto, é duradouro. É seguro e eficaz, podendo ser usada tanto em face quanto em corpo.

As queixas em relação à flacidez são mais comuns em homens ou mulheres?

A percepção de que as mulheres reclamam mais sobre a pele flácida do que os homens pode decorrer de normas e expectativas sociais sobre beleza e envelhecimento. Em muitas culturas, as mulheres frequentemente são submetidas a padrões mais elevados de aparência física e são frequentemente expostas a ideais de beleza irreais perpetuados pela mídia, publicidade e pressões sociais.    

As mulheres muitas vezes são socializadas desde jovens para priorizar sua aparência, e sinais de envelhecimento, como pele flácida, podem ser vistos como indesejáveis ou até mesmo tabu. Consequentemente, as mulheres podem sentir mais pressão para abordar e discutir abertamente questões relacionadas à sua aparência física, incluindo a pele flácida.

Além disso, a indústria da beleza direciona fortemente as mulheres com produtos e tratamentos destinados a combater sinais de envelhecimento, o que pode ampliar ainda mais essas preocupações entre as mulheres.

Por outro lado, os homens podem enfrentar menos pressão social para manter uma aparência jovem, e pode haver menos expectativas para que discutam ou abordem questões como pele flácida abertamente. No entanto, isso não significa que os homens sejam totalmente imunes a preocupações com sua aparência ou envelhecimento; em vez disso, as normas sociais e as expectativas de gênero frequentemente influenciam como os indivíduos percebem e expressam essas preocupações.

Leia mais

Música

Com shows de Luiz Caldas, Negra Cor e Herbert Richard, o evento Black Tie celebra os 72 anos do hotel e os 18 da...

Música

O som do cantor Belo vai tomar conta do Armazém Convention. Considerado um dos principais nomes da música brasileira e ícone do pagode romântico,...

Beleza

A grande novidade na indústria da beleza é a chegada do blush em pó Soft Pinch ao Brasil, um produto que promete transformar a...

Gente

Lançamento bem-sucedido marca um capítulo importante na carreira da escritora

Moda

Estética western, elementos românticos, itens bicolores e transparência marcam o lançamento

Beleza

Em comemoração aos seus 40 anos de história, a M·A·C Cosmetics está trazendo de volta algumas das tonalidades de batons mais icônicas e queridas...

Gente

Titulado “Tricô”, o livro traz poesias inéditas através dos versos que ressaltam sentimentos que permeiam a existência