Connect with us

Olá, o que você está procurando?

Teatro

Musical inspirado na obra “Viva o Povo Brasileiro” chega a Salvador

Foto | Divulgação

Depois de estrear em agosto no Rio de Janeiro e realizado uma temporada em São Paulo, o musical Viva o Povo Brasileiro [de Naê a Dafé] desembarca em Salvador através do projeto Catálogo Brasileiro de Teatro para a três apresentações no Sesc Casa do Comercio em únicas apresentações dias 28, 29 e 30 de Junho, com Patrocínio Nacional Master da Nubank. Os ingressos custam a partir de R$ 19,50 e estão à venda no Sympla.

O espetáculo é uma versão musical para o romance “Viva o Povo Brasileiro”, uma das obras-primas do saudoso autor baiano João Ubaldo Ribeiro (1941-2014), vencedor dos prêmios Camões de Literatura e Jabuti. Esse livro poderoso ainda inspirou o samba-enredo da Império da Tijuca no Carnaval de 1987. O musical venceu o Prêmio Shell na categoria “Melhor Ator” com Maurício Tizumba e foi indicado em mais três categorias – Música Original e Direção Musical, Melhor Direção e Melhor Figurino -. Também foi indicado ao Prêmio APCA nas categorias “Melhor Espetáculo” e “Melhor Ator” e no Prêmio APTR na categoria “Melhor Música”.

A versão teatral, dirigida por André Paes Leme, conta com 30 músicas originais compostas por Chico César, a partir de letras inspiradas ou que utilizam parte textual da obra de Ubaldo. Já a direção musical e a trilha original são de João Milet Meirelles (da banda BaianaSystem). No elenco, estão Alexandre Dantas, Guilherme Borges, Hugo Germano, Izak Dahora, Jackson Costa, Ju Colombo, Júlia Tizumba, Luciane Dom, Lucas dos Prazeres, Maurício Tizumba e Sara Hana.

A pesquisa para a montagem de Viva o Povo Brasileiro (De Naê a Dafé) nasce da investigação de doutorado feita na Universidade de Lisboa pelo diretor André Paes Leme, que já adaptou outros clássicos da literatura para o teatro: ‘A Hora da Estrela ou O Canto de Macabéa’, ‘A hora e vez de Augusto Matraga’ e ‘Engraçadinha’.

O desejo de falar do que seria esse povo brasileiro a partir da ótica crítica e do humor de João Ubaldo Ribeiro provocou o nascimento do projeto. “Não há possibilidade de entender o povo brasileiro sem compreender que todos nós somos o povo brasileiro, desde os povos originários até os imigrantes que chegaram muito tempo depois. Criamos esse espetáculo, que praticamente pega um terço do livro, mas traz a essência da obra ligada à ideia de ancestralidade, de espiritualidade, da luta contra a escravidão, por uma igualdade e justiça social. O texto é especialmente conectado à força feminina, que é algo muito forte a partir da personagem da Maria Dafé, que é a grande heroína”, diz André.

Leia mais

Música

Com shows de Luiz Caldas, Negra Cor e Herbert Richard, o evento Black Tie celebra os 72 anos do hotel e os 18 da...

Música

O som do cantor Belo vai tomar conta do Armazém Convention. Considerado um dos principais nomes da música brasileira e ícone do pagode romântico,...

Beleza

A grande novidade na indústria da beleza é a chegada do blush em pó Soft Pinch ao Brasil, um produto que promete transformar a...

Gente

Lançamento bem-sucedido marca um capítulo importante na carreira da escritora

Moda

Estética western, elementos românticos, itens bicolores e transparência marcam o lançamento

Gente

Titulado “Tricô”, o livro traz poesias inéditas através dos versos que ressaltam sentimentos que permeiam a existência

Beleza

Em comemoração aos seus 40 anos de história, a M·A·C Cosmetics está trazendo de volta algumas das tonalidades de batons mais icônicas e queridas...