Conecte com a gente

Cinema

Crítica: “Era Uma Vez em… Hollywood”

Publicado

em

Quentin Tarantino é um dos maiores cineastas da história do cinema. Dono de filmes excelentes como “Cães de Aluguel” (1992) e “Pulp Fiction” (1994), ele é conhecido por fazer homenagens a grandes filmes do passado, dando seu toque particular a alguns momentos históricos, como em “Bastardos Inglórios”. Em “Era Uma Vez em… Hollywood” ele exagera na homenagem ao cinema e faz um filme com roteiro irregular, em que pese as brilhantes atuações de Leonardo diCaprio e Brad Pitt e a ótima direção de Tarantino.

A trama se passa em 1969, época de declínio do grande astro da televisão Rick Dalton (DiCaprio), o que acaba culminando com o declínio de seu dublê Cliff Booth (Brad Pitt), que passa a ser o ‘faz tudo’ de Dalton.

Enquanto isso, a Hollywood da época vive o momento paz e amor com Sharon Tate (Margot Robbie) encantadora atriz que passa os dias fazendo compras, indo ao cinema e dançando. Mas também começa a sofrer com a ameaça dos assassinos batizados de família Manson.

“Era Uma vez em… Hollywood” se divide acompanhando a vida destes três personagens, sendo que Dalton e Booth são os mais profundos – o primeiro sofre em ser um ator que agora faz vilões, enquanto que o segundo se sente desprestigiado por não conseguir ser mais dublê de Dalton. Já Tate é apenas encantadora (e que encanto!).

Com o filme se passando em Hollywood, Tarantino abusa de referências a filmes de western – me arrisco a dizer que há mais cenas de Dalton em filmes dentro do filme do que na própria projeção do título principal. Para quem assistiu aos grandes clássicos – e reconhece os maneirismos de grandes atores personificados brilhantemente por DiCaprio -, o filme ganha uma dimensão maior. Mas há outros personagens retratados no longa – basicamente apenas Dalton e Booth são fictícios – pouco conhecidos no Brasil.

Mas há um certo exagero que parece que faz o filme não ir pra frente e transforma o longa, de 2h40min, em algo monótono, com cenas de personagens andando com seus carros nas ruas – e uma trilha sonora bacanérrima como é praxe dos filmes de Tarantino – que nada acrescentam a arrastada trama – em que pese o final sensacional à lá Tarantino.

Na questão de Sharon Tate, é importante que o espectador tenha ciência do que aconteceu com ela: em 1969, a jovem foi assassinada pela família Manson quando estava grávida do seu primeiro filho com o diretor Roman Polanski. Esse crime chocou os Estados Unidos para sempre e até o Brasil na época, mas, por motivos óbvios, pelos lados de cá, esse fato não ficou tão marcado.

Portanto, “Era Uma Vez em… Hollywood” mostra que Tarantino já está se repetindo ao se fazer tantas referências ao cinema para homenageá-lo. Dessa vez, sem o brilhantismo de roteirista que já teve outrora. No entanto, sua veia de diretor continua pulsante.

Review 0
6 /10
Avaliação
Leitores (0 votos) 0
O que as pessoas dizem sobre o filme... Deixe sua avaliação
Sort by:

Be the first to leave a review.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Deixe sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cinema

UCI Orient vende ingressos para pré-estreia de Bacurau

Publicado

em

Bacurau, o novo filme da dupla de diretores e roteiristas pernambucanos Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, estreia no Brasil no dia 29 de agosto. Na rede UCI ORIENT, já estão disponíveis os ingressos para a pré-estreia, que acontece nos dias 23 e 24 no UCI ORIENT da Bahia.

O longa, que recebeu o Prêmio do Júri no Festival de Cannes, em maio, e o prêmio de Melhor Filme no Festival de Cinema de Munique, em julho, se passa em “Bacurau”, pequeno povoado localizado no sertão brasileiro e mistura os gêneros de drama, faroeste, terror gore, fantasia e ficção científica.

Para mais informações sobre a programação e os cinemas, acesse os sites da rede. Ingressos podem ser adquiridos no site da UCI ORIENT (www.orientcinemas.com.br e www.ucicinemas.com.br), nos caixas de autoatendimento e nos balcões de atendimento.

Continue Lendo

Cinema

Charlize Theron, Nicole Kidman e Margot Robbie estão no teaser de “O Escândalo”

Longa tem estreia nacional agendada para 30 de janeiro de 2020 e distribuição Paris Filmes.

Publicado

em

Nesta quarta-feira (21), a Lionsgate promove o lançamento mundial do primeiro teaser de “O Escândalo” (Bombshell), produção estrelada pelas vencedoras do Oscar® Charlize Theron e Nicole Kidman, além da indicada ao Oscar® Margot Robbie.

Dirigida por Jay Roach (de “Austin Powers”) e com roteiro de Charles Randolph (vencedor do Oscar® pelo roteiro de “A Grande Aposta”), o longa tem estreia nacional agendada para 30 de janeiro de 2020 e distribuição Paris Filmes.

Baseada no escândalo norte-americano “Bombshell”, deflagrado em 2016, a trama aborda as graves denúncias contra o então presidente executivo-chefe da Fox News, Roger Ailes, e suas consequências. O longa promete um olhar revelador dentro do mais poderoso e controverso império de mídia norte-americano, com a história pulsante das mulheres que afrontaram um infame homem à frente deste império.

Continue Lendo

Cinema

Documentário sobre Claudio Naranjo será lançado em Salvador

Publicado

em

O documentário Viagem Interior, que aprofunda sobre a vida e obra do médico psiquiatra chileno, Claudio Naranjo, será lançado no próximo sábado (24), no Espaço Itaú de Cinema – Glauber Rocha, às 11h, em sessão única. O longa, que seguirá por outras capitais do Brasil, percorre o caminho traçado por ele em sua busca interior durante viagem pela América Latina.

Durante as cenas, Claudio conta em primeira pessoa histórias de sua vida, suas origens, seus mestres e as chaves de seupensamento, considerado transformador a nível social, econômico e político. O ingresso para a sessão é colaborativo e visa ajudar na divulgação do filme, podendo ser adquirido através do Sympla.

Profundo conhecedor da condição humana, ele faleceu no dia 12 de julho deste ano, deixando um legado de autoconhecimento. Sua mensagem convida ao cultivo de um maior nível de consciência que ajude as pessoas a despertar o seu eu essencial e experimentar o que são realmente. Seu objetivo era uma revolução da consciência que permitisse mudar o mundo desde a base.

O filme aborda a influência de suas ideias na educação e sua proposta por uma revolução psicodélica. Produzido pela Fundação Claudio Naranjo e a cineasta Glòria Matamala, contou com a colaboração do produtor Pedro Barbadillo e de doadores através de crowdfunding.

Continue Lendo

Mais lidas