Conecte com a gente

Literatura

Livro “Areia Movediça”, que inspirou série da Netflix, chega ao Brasil

Publicado

em

A Intríseca lança no Brasil o livro “Areia Movediça”, da sueca Malin Persson Giolito. O suspense foi adaptado como uma série policial homônima da Netflix lançada em abril.

A vida de Maja Norberg parecia incrível: jovem, bonita, inteligente e popular. Nada iria dar errado. Até que um tiroteio acontece na escola: seu namorado e sua melhor amiga estão mortos e ela é a única acusada dos crimes. Aos poucos, Maja refaz os acaminhos que a colocaram naquela situação, mas, até lá, uma coisa é certa: ela é a pessoa mais odiada da Suécia.

Após nove meses na prisão, é hora do julgamento. Os advogados estão usando todos os recursos possíveis para provar sua inocência, mas a mídia e os olhares à sua volta nitidamente desejam o oposto. Com os direitos de tradução adquiridos por mais de 29 países, Areia Movediça, de Malin Persson Giolito, foi escolhido pela Swedish Crime Writers Academy como o melhor romance criminal de 2016.

Narrada do ponto de vista de Maja, que trata o leitor como um confidente, a obra entrelaça as memórias da garota a um cenário de tensão racial e econômica que, aos poucos, ajuda a revelar as peças de um surpreendente quebra-cabeças.

Panorama perspicaz de uma juventude desmoronando, o livro toca em temas como imigração, conflito de classes e o isolamento adolescente, embalados por uma ótima narrativa de crime e tribunal. A série homônima, lançada em abril pela Netflix, foi a primeira produção original sueca do streaming.

Autora: Malin Persson Giolito
Tradução: Alexandre Raposo
Editora: Intrínseca
352 páginas
Impresso: R$ 44,90
E-book: R$ 29,90

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Literatura

Auti Books apresenta nova forma de consumir livros

Publicado

em

As editoras Intrínseca, Record e Sextante juntaram-se à Bronze Ventures para lançar uma nova plataforma de comercialização de audiobooks: a Auti Books. A ideia surgiu a partir de uma análise do mercado de audiobooks nos Estados Unidos, que apenas no ano de 2017, apresentou um crescimento de 22,7%, representando 6,5% do mercado editorial norte-americano.

Visando incentivar e fortalecer o hábito de leitura no Brasil, a empresa nasce com a missão de acompanhar as tendências da indústria editorial global e ao mesmo tempo permitir aos usuários experimentar, de maneira inovadora, grandes obras da literatura nacional e internacional. Sua vantagem é o uso acessível e remoto, possibilitando um melhor aproveitamento do tempo, seja no transporte, na prática de exercícios ou em conjunto com a família.

“Estamos enfrentando um grave problema cultural de hábito de leitura, e consequentemente, da educação do país, assim a Auti Books chega com a força de algumas das maiores editoras do Brasil, engajadas com a democratização da cultura e a transformação social do país”, ressalta Claudio Gandelman, CEO da Auti Books e sócio da Bronze Ventures.

De ficção a autoajuda

O catálogo estreia com cerca de 100 livros em diferentes segmentos: ficção, negócios, comportamento, espiritualidade, política e autoajuda. A plataforma está disponível tanto no site quanto no aplicativo, com versões para Android e iOS. A previsão é que até o final de 2019 já haja mais de 500 títulos prontos.

“Ouço áudio livros em inglês há mais de 20 anos, quando ainda eram vendidos em fitas cassete, e adoro escutar títulos de negócio e de autoajuda enquanto caminho ou dirijo. Eles são um ganho enorme em nossa vida e estamos animados em oferecer nossos livros ao público brasileiro. Para isso, investimos em qualidade de locutores, estúdios de gravação, revisão etc,” explica o sócio Tomás da Veiga Pereira, da Editora Sextante.

Com curadoria e edição minuciosa, o investimento na Auti vai além do simples modelo de negócio. Produzidos pelas editoras e gravados em estúdios profissionais, os audiobooks focam na experiência do ouvinte, na interpretação de cada texto e especialmente no resgate da sensação acolhedora ao se escutar uma história.

Presença expressiva nas listas de mais vendidos nos dois últimos anos no país, os títulos de autores nacionais terão grande destaque na plataforma. Uma oportunidade não só para os escritores darem voz às suas histórias e interagirem de forma mais próxima com o público, como também para os leitores/ouvintes, que agora poderão vivenciar muitas vezes suas obras preferidas narradas pelo próprio criador.

“O trabalho de narração, somente em Nova York, já emprega hoje mais profissionais do que a Broadway. Os números são inspiradores para nós. As vendas de audiobooks por lá somaram apenas entre abril e dezembro de 2017, US$ 495 milhões, conquistando 10% das vendas online de livros”, analisa o sócio Jorge Oakim, da Editora Intrínseca.

Os dados positivos também se estendem ao mercado europeu. A sócia Roberta Machado, da Editora Record, ressalta o crescimento do nicho no Reino Unido. “Dos consumidores de livros, 59% escutam audiobooks diariamente, seguidos de ebooks, com 56% de consumo diário”.

Outras editoras

Além das editoras sócias, outras empresas do mercado editorial também terão seus livros disponíveis na Auti Books, como é caso da Universo dos Livros e da Companhia das Letras. “Aqui no Brasil as vendas de audiobooks acompanharão o amadurecimento do e-consumidor e os recordes de utilização de smartphones, propiciando a entrada de um novo público, consumidores de livros narrados. Pessoas que pelas mais diversas razões não têm acesso a livros atualmente”, complementa Matinas Suzuki Jr., Diretor da Companhia das Letras.

Segundo um estudo feito no ano passado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) contemplando todas as capitais brasileiras, os smartphones já são a principal ferramenta de compra para 33% dos internautas. O número é ainda maior entre o público jovem, chegando a 48%.

Olhar social

A Auti Books aproveita o lançamento para iniciar uma campanha permanente com o objetivo de ampliar o hábito de leitura no país. De acordo com a última pesquisa da Retratos da Leitura no Brasil, realizada pelo IBOPE e encomendada pelo Instituto Pró-Livro, 61,8 milhões de brasileiros nunca compraram um livro na vida. A ideia da Auti Books é contribuir para mudar essa estatística.

A cada 10 audiobooks vendidos, a Auti Books doará um título para uma pessoa que não tem acesso a leitura. A empresa nasce com a força de algumas das maiores editoras nacionais, engajadas com a democratização da cultura e a transformação social do país. A meta é doar mil audiobooks no primeiro mês.

Continue Lendo

Literatura

Romance de Karina Sainz Borgo retrata saga em uma Venezuela violenta

Publicado

em

Adelaida Falcón vive numa Caracas assombrada por milícias e destruída pela escassez de comida, dinheiro e combustível. Não bastasse esse cenário devastador, ela ainda precisa enfrentar a morte da mãe, depois de uma longa batalha contra uma doença que lhe arrancou suas parcas economias. Quando volta do enterro, Adelaida é impedida de entrar em casa, invadida por um grupo de mulheres ligadas ao movimento revolucionário.

Ao procurar ajuda, tenta falar com a vizinha, conhecida como ”a filha da espanhola”, mas a encontra morta. Sobre a mesa da sala, Adelaida encontra documentos que podem dar um novo rumo à sua vida, e começa uma jornada de busca pela própria sobrevivência.

Assim como a protagonista de seu elogiado primeiro romance, Karina Sainz Borgo, que nasceu em Caracas mas mora em Madri desde 2006, não reconhece mais a sua cidade natal. Em Noite em Caracas, a autora — uma das atrações mais aguardadas da próxima Festa Literária Internacional de Paraty — retrata a saga de uma mulher que enfrenta situações extremas, enquanto se vê obrigada a aceitar a ausência definitiva da mãe homônima, em um país que também se desintegra aos poucos.

Ela narra sua história entremeando lembranças de um passado não muito distante, de uma vida simples como filha de professora que a criou sozinha, com um presente no qual resistir se torna um ato de amor e coragem.

Publicado em março na Espanha, o livro já é um best-seller com cinco reimpressões em menos de um mês. Em 2018, foi um dos títulos mais disputados na Feira de Frankfurt, onde editores de todo mundo garimpam as próximas sensações literárias. Os direitos de publicação de “Noite em Caracas” (La hija de la española no original) foram vendidos, por enquanto, para 24 países.

Autora: Karina Sainz Borgo
Tradução: Livia Deorsola
Editora: Intrínseca
240 páginas
Impresso: R$ 39,90
E-book: R$ 24,90

Continue Lendo

Literatura

Nilvano Andrade lança livro “Verdes Azuis”

Publicado

em

O médico e escritor Nilvano Alves de Andrade comemora 40 anos de literatura e lança seu quinto livro individual, “Verdes Azuis”, quarta, 29, das 19h30 às 22h, no Café-Teatro Rubi, Wish Hotel da Bahia. Os ingressos custam R$ 50 (valor do livro) e estão à venda na bilheteria do Rubi.

Durante a noite de autógrafos, acontecerá um show musical com canções do próprio Nilvano, dirigido pelo músico Luciano Bahia e com a participação dos cantores J. Velloso, Cláudia Cunha, Ana Paula Albuquerque, Tito Bahiense, Mazzo Guimarães e Abraão Costa. O espetáculo contará ainda com um recital de poesia encenado pelos atores Daniel Farias e Tális Castro.

A trajetória literária de Nilvano começa com a publicação de vários poemas na coletânea “Cristãdor”, da editora Contemp, em 1981. A partir daí, o médico passa a escrever seus próprios livros, como “Pássaro Silente” (1987), “Olhos de Prata” (1989), “Palavra por Palavra” (1992), “Canoa de Vidro”, que saiu em duas edições (2007 e 2010), sendo a segunda em audiobook e e-book.

Escritor e músico

“Muitas vezes me pergunto porque insisto em buscar palavras no “baú do tudo” e guardá-las como versos nas estantes empoeiradas da minha imaginação. O mais importante de um livro é sua construção. Depois ele não nos pertence mais”, filosofa Andrade.

Em 2019, ao publicar “Verdes Azuis”, a Contemp comemora 40 anos de literatura do autor. O novo livro já nasce ultrapassando fronteiras, ao trazer uma edição bilíngue em e-book, traduzida para o espanhol pelo professor Diego Chozas.

“Verdes Azuis” tem apresentação de Mabel Veloso, Heloisa Helena F. G. da Costa e Luiz Ademir Souza e está recheado de poesia e prosa contemporânea, acompanhadas por ilustrações de artistas com prestígio nacional e internacional, como o artista plástico uruguaio Carlos Páez Vilaró.

No campo da música, sempre em parceria com Abraão Costa, Nilvano tem sido letrista de músicas cantadas por diversos artistas de expressão nacional, como Margareth Menezes, Jussara Silveira, Carla Visi, Marcia Short, Flávio Venturini, dentre outros.

Nilvano é soteropolitano, doutor em otorrinolaringologia (USP), professor adjunto da Escola de Medicina e Saúde Pública e chefe do Programa de Otorrinolaringologista da Santa Casa da Bahia. Durante seus 38 anos de profissão, tem feito palestras no Brasil e no exterior.

Continue Lendo

Mais lidas